quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Ego gigante

Aprendi a ter uma auto-estima gigante, confesso que intelectualmente me sinto confortável para me achar espetacular. Fisicamente... há um misto, às vezes estou muita bem, não roço o horror, mas também não ando taco-a-taco com a Nicole Scherzinger, outras vezes nem me acho muito bem. Mas o balanço nem é mau.
No entanto esta coisa de se ter um grande ego dá trabalho, profissionalmente estou sujeita a pressões que muitas vezes me levam a duvidar se afinal tenho a inteligência acima de média que muitos me fazem crer.
Mas depois, uma jornalista ainda bebé nestas andanças, concorre a um prémio, só porque me apetece, rio-me muito do meu acto de coragem insana, durante dias e não é que recebo uma distinção? Fiquei enorme...
A minha reacção foi... Chorar... Muito, parecia que me tinham batido, chorei de alegria e de alívio, tentei acalmar a pessoa que estava comigo e aos soluços tentei explicar-lhe que chorei de emoção, por achar ultimamente que nada corria bem e de repente corre muito bem.
Pode ser algo pequeno, para mim foi infinito, andei dias nas nuvens.
Depois o ego acalma-se, mas fica a sensação de: "Eu sabia, nasci para isto, o meu Avô Júlio tinha razão, a minha professora de filosofia tinha razão, o meu sonho, convicção e teimosia afinal tinham uma razão de ser!" Pela primeira vez na vida tenho uma certeza estou no caminho certo e é bom ter este conforto. 

3 comentários:

  1. Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  2. Olha, como jornalista também com grandes crises de ego e de identidade, YOU GO GIRL :)

    ResponderEliminar